Como fazer o cálculo do INSS

O Instituto Nacional de Seguro Social, ou simplesmente INSS, é um órgão ligado a Previdência Social que tem como uma das suas principais funções pagar o valor devido aos aposentados. Além disso, ele também é o responsável por benefícios como seguro-desemprego, pensão por morte, auxílio-maternidade, salário-maternidade, entre outros.

O Instituto foi criado em 1990 após haver uma fusão do INPS com o IAPS, sendo que o seu principal objetivo, desde o momento da criação, era reduzir a desigualdade social presente no país, além de diminuir a pobreza.

Como funciona o cálculo do INSS

O cálculo do INSS para empresa é bastante simples. Para chegar ao resultado, você precisa multiplicar o seu salário bruto pela alíquota vigente referente à faixa de renda.

Para entender melhor, basta considerar o seguinte exemplo: suponha que um trabalhador tenha um salário bruto de R$ 1.700,00. Pela tabela vigente do INSS, esse profissional está inserido na linha entre R$ 1.399,12 e R$ 2.331,88.

Para este caso, a alíquota de desconto imposta pelo governo é de 9%. Portanto para saber o valor total, o cálculo será R$ 1.700,00 x 9%, o que daria R$ 153,00. Esse deverá ser o valor que o contribuinte necessita pagar mensalmente.

Por lei, todo trabalhador ativo deve realizar a sua contribuição ao INSS, sendo que ela é descontada mensalmente no salário, já levando em consideração os tributos devidos pela empresa empregadora.

Atualmente, esse percentual é variável, e vai depender do valor salarial de cada pessoa. Por exemplo, existem três faixas vigentes no país, de 8%, 9% e 11%.

Vale ressaltar que há um teto máximo de desconto, sendo que todos os anos o INSS divulga uma nova linha de valores. A tabela vigente é a seguinte:

  • Até R$ 1.556,94 o desconto é de 8%.
  • Entre R$ 1.556,95 até R$ 2.594,92 é de 9%.
  • Já a faixa entre R$ 2.594,93 até R$ 5.189,82 é de 11%.

Regras para outras classes profissionais

como-fazer-calculo-inss

Paralelamente, existem os casos dos Microempreendedores Individuais, que também fazem as suas contribuições ao INSS. Mas neste caso, o contribuinte deve pagar uma taxa mensal fixa estipulada no valor de R$ 44,00. Esse valor equivale a 5% do salário mínimo.

Já os trabalhadores facultativos e individuais precisam recolher 20% do salário de contribuição, sendo que esse será o índice usado como referência na hora de se aposentar. Ou seja, quanto mais alto for o salário base de contribuição, maior será o salário que o trabalhador terá direito quando chegar o momento de se aposentar.

Por outro lado, o trabalhador doméstico segue a alíquota de porcentagem entre 9% e 11% explicada anteriormente. Isso quer dizer que o valor a ser recolhido para a Previdência irá variar de acordo com o salário recebido pelo profissional.

Mínimo salário para fazer a contribuição

Desde janeiro de 2016, o menor salário que o trabalhador pode optar por contribuir é de R$ 880,00. Os trabalhadores individuais podem optar pela contribuição simplificada e pagar 11% em cima desse valor, ou seja, R$ 96,80.

No caso de alguma dúvida com relação a esses cálculos, o INSS possui diversos postos autorizados, onde agentes podem ser consultados se houver essa necessidade.

Essas foram as orientações para você entender como funciona o cálculo do INSS. Se elas foram úteis para você, compartilhe com seus amigos no Facebok ou clique no botão “Curtir”. E caso tenha alguma dúvida, escreva uma pergunta na seção de comentários.


Deixe uma resposta