Browse Category

Pagamento INSS

Como pedir a revisão do benefício do INSS

A revisão do benefício do INSS pode ser solicitada por qualquer cidadão que acredita que tenha sido prejudicado pelo órgão. Exemplos do que pode ser objeto desse pedido de revisão são: o valor mensal do recurso, os vínculos empregatícios que podem ser considerados para a aposentadoria, entre outros. O INSS ainda afirma que é possível pedir a revisão até mesmo 10 anos depois de ter começado a receber o benefício.


Como pedir a revisão do benefício do INSS

A revisão pode ser solicitada pelo telefone 135, que funciona da segunda até sábado, a partir das 7 horas e até às 22 horas. Também é possível fazer o pedido através do site de agendamento de serviços do INSS.  Para isso, é só seguir o passo a passo:

Passo número 1: acesse o site, selecione ou digite o serviço que você deseja pedir, nesse caso, a revisão.

Passo número 2: coloque o código verificador corretamente.

Passo número 3: na próxima página, os dados do requerente vão ser solicitados. Preencha todos corretamente.

Passo número 4: nessa etapa, vai ser preciso fazer a seleção da unidade da agência do INSS em que você vai querer ir para fazer a revisão do benefício. Escolha a mais perto de você.

Passo número 5: aqui, é necessário confirmar que você fez o requerimento.

Passo número 6: nesse último procedimento, basta imprimir o comprovante do seu requerimento.


Documentos necessários para levar à agência do INSS

Depois de ter feito seu agendamento do pedido de revisão do Clique aqui para ler o artigo completo

Como pagar INSS retroativo

De uma maneira geral, é perfeitamente possível fazer o pagamento do INSS retroativo ou em atraso, porém, há casos em que é necessário pedir uma autorização especial para realizar esse acerto com a Previdência Social, bem como situações em que esse pagamento não é autorizado.

O que muitas vezes acontece, é o fato de o trabalhador verificar que tem algumas parcelas em atraso ao tentar dar entrada em um benefício. Em ocasiões específicas, o profissional chega a propor ao INSS a quitação dos meses em atraso para que ele possa dar entrada na sua aposentadoria. No entanto, o processo não é tão simples assim.

O que diz a lei

De acordo com a legislação vigente no país relacionada à Previdência Social, o trabalhador não poderá quitar a sua dívida de forma retroativa no caso de ter ficado desempregado por um período e, portanto, ter parado de contribuir. Isso quer dizer que esse tempo em que ele ficou sem fazer o devido pagamento não poderá ser acertado posteriormente, como muitos pensam.

Outra dúvida comum é quando a pessoa atinge a idade mínima para se aposentar, mas, durante toda a vida, não contribuiu com o INSS. Geralmente, os parentes mais próximos relatam o desejo de pagar as 180 contribuições obrigatórias para que os seus entes queridos tenham esse direito. Porém, a Previdência não autoriza esse tipo de negociação, pois cada pagamento precisa ser feito mês a mês.

Como fazer o pagamento

pagar-inss-retroativo

Uma informação importante que o contribuinte deve saber é que, apesar … Clique aqui para ler o artigo completo

Como pagar o INSS como autônomo

Em época de desemprego em massa, muitos profissionais optam pelo regime de trabalho autônomo. Isso significa que decidem trabalhar por conta própria, e essa é uma prática cada vez mais comum. O pagamento do INSS como autônomo nem sempre é a mais fácil, porém, especialistas garantem que esse esforço será recompensado no futuro, pois é uma maneira de garantir uma aposentadoria e um reforço no orçamento da família. Para começar a pagar as contribuições do Instituto Nacional de Seguro Social é importante seguir quatro passos básicos.

INSS como autônomo

1. Realizar a inscrição no Programa de Integração Social (PIS)

Todos os contribuintes do INSS obrigatoriamente precisam estar cadastrados no PIS. Caso já tenha trabalhado em algum momento com carteira assinada, o trabalhador já possui esse registro. O PIS número também é conhecido como NIT (Número de Inscrição do Trabalhador) ou também NIS (Número de Inscrição Social).

Se você não sabe se tem ou não o PIS, é necessário consultar a sua Carteira de Trabalho ou se dirigir a uma agência da Caixa Econômica Federal para fazer a consulta (leve a sua carteira de identidade). Caso você realmente não tenha esse número, é necessário fazer um cadastro por este site.

2. Escolher o tipo de contribuição

Mesmo sendo um contribuinte individual, também é obrigatório escolher entre as duas maneiras disponíveis. A principal diferença entre as duas é o valor que será recolhido, o que influencia no salário que será recebido durante a aposentadoria. Também vale lembrar que cada uma delas … Clique aqui para ler o artigo completo

Como pagar o INSS em atraso

O pagamento do INSS é fundamental entre os trabalhadores autônomos que desejam garantir o benefício da aposentadoria pela Previdência Social, sendo que muitas vezes, devido à instabilidade dos ganhos, esses contribuintes acabam atrasando os seus pagamentos. Nesses casos é comum que apareçam algumas dúvidas sobre como pagar INSS em atraso.

É importante esclarecer que não basta apenas querer colocar as parcelas em dia, é necessário saber também se a Previdência Social irá reconhecer esses pagamentos. Cada caso será analisado separadamente para que, dessa forma, um resultado seja expedido.

Para atualizar o processo de recolhimento junto ao INSS, é preciso que o contribuinte preencha alguns requisitos obrigatórios que vamos apresentar a seguir. Vale dizer que há dois casos específicos, ou seja, contribuições atrasadas em períodos prescritos e em períodos não prescritos.

Contribuições atrasadas em períodos prescritos

como-pagar-inss-atrasado

A prescrição das contribuições em atraso ocorre no prazo de cinco anos. Nesses casos, não basta apenas emitir as guias atrasadas para ficar em dia com o INSS e manter o benefício. É necessário também que o contribuinte faça uma proposta de indenização pelo período que não fez os pagamentos, cabendo à Previdência Social estabelecer se aceita ou não esse acordo.

1. Calculando a indenização

O valor a ser pago referente a essa indenização é calculado em cima da média das contribuições feitas, tendo como base o mês anterior ao do requerimento. Desse valor é calculado cerca de 20%, mais os juros e a multa pelo tempo de atraso.

2. Indo até uma

Clique aqui para ler o artigo completo